Criança que faz Ginástica Artística Olímpica não cresce?

Existem diversos fatores que contribuem para que esse questionamento cresça a cada dia, no entanto, precisamos buscar informações para não aceitar equívocos como verdades.

Primeiramente, gostaria de fazer uma pergunta: crianças jogam basquete porque são altas ou são altas porque jogam basquete?

Você já ouviu falar em biótipo corporal ou somatotipos? São as características corporais geneticamente herdadas. O fisiologista William Herbert Sheldon criou uma classificação dividindo os biótipos em três grupos específicos, conforme segue:

Ectomorfos – Caracterizados por serem alto e magros, com membros longos, pouca massa magra e pouca gordura;

Endomorfos – Possuem como principal característica a facilidade de acumular gordura e ganhar músculos, tem membros curtos em relação ao tronco, e os homens possuem cintura arredondada enquanto a mulheres possuem quadril mais largos que os ombros.

Mesomorfos – Com característica intermediárias, pois possuem corpo magro e com facilidade de ganhar massa magra (músculo).

Cada esporte tem um biótipo que lhe favorece, para a ginástica artística ou olímpica são os baixinhos atléticos, que por terem menor estatura têm o centro de gravidade mais baixo, facilitando assim a execução dos movimentos. Ou seja, aqueles que possuem esse biótipo tem mais facilidade para esse esporte. No entanto não é uma regra, temos como exemplo Usain Bolt, o maior velocista de todos os tempos, mesmo apresentando biótipo de corredor de longas distâncias.

Mas então, o que determina se uma criança terá características de um ginasta ou de um jogador de basquete?

Diversos fatores estão relacionados a estatura final de uma pessoa. A genética, que é um fator interno, é o que vai definir se uma criança será baixa ou alta (80% segunda a sociedade brasileira de pediatria), mas também existem os fatores externos, como nutrição e atividade física que podem influenciar na estatura final.

Considerando a atividade física, segundo pesquisadores, não é o tipo de atividade que influencia no crescimento dos praticantes e sim a alta frequência e intensidade da prática, caracterizando uma rotina de atletas de alto rendimento, associados a restrições alimentares, baixo peso corporal, estresse….

A prática de atividade física, como a ginástica artística, bem orientada e regular, traz inúmeros benefícios para as crianças: aumento da densidade mineral ósseo, melhora circulação, capacidade respiratória, força, resistência, flexibilidade, equilíbrio, postura, auxilia na prevenção de lesão causadas por má postura, fraqueza muscular ou encurtamentos musculares, entre outros.

Sabemos também que a atividade física influencia na qualidade do sono. A falta de sono prejudica o crescimento? Por quê? É comum na infância escutarmos a frase: “Vai dormir, senão você não cresce”! Um clichê dos pais, mas eles estão certos. O hormônio do crescimento (GH) é produzido e liberado no organismo durante o sono, principalmente, ao longo da noite. Cerca de 30 minutos após o adormecimento, com maior produção, a partir das 22 horas, até às seis da manhã. Por isso, crianças que dormem pouco, podem apresentar déficit de crescimento, prejuízos na memória, irritabilidade, menor concentração e dificuldades de aprendizado. E não vale compensar a pouca quantidade de sono noturna, dormindo toda a parte da manhã ou com “sonecas” vespertinas. Dormir de dia, não produz o mesmo efeito. Por isso, é importante estabelecer horários para dormir e não permitir que os filhos durmam menos do que o suficiente.

Ou seja, a estatura final é definida pela genética e como pode ser influenciada pelos fatores externos, temos que cuidar da alimentação, da qualidade do sono, da saúde emocional, associando uma prática saudável de atividade física, pois a prática  de esportes é muito benéfica a saúde como um todo e auxilia em alguns aspectos associados ao crescimento.

2018-04-04T22:35:02+00:00outubro 10th, 2017|